16 de novembro de 2017

15 de novembro de 2017

Nguzo mbote, Mam'etu Mesoenji!

A ABENTUMBA e toda comunidade do Terreiro Tumba Junsara se une aos filhos, amigos e irmãos de fé para comemorar os 64  anos de vida religiosa e dedicação ao Nkisi da nossa querida Mãe Iraildes. 
Nguzo mbote, Mam'etu!


14 de novembro de 2017

Alvorada dos Ojás - sexta-feira (17/11) às 17h


A Alvorada dos Ojás é uma ação que clama por paz e respeito à liberdade religiosa. Ela acontece essa semana e é aberta ao público. Vista seu branco e junte-se a nós.

12 de novembro de 2017

NOVEMBRO NEGRO: tombamento e registro de terreiros em órgãos públicos são os principais temas do encontro no Tumba Junsara

reprodução do site do MP. Acesso integral AQUI

NOVEMBRO NEGRO: tombamento e registro de terreiros em órgãos públicos são os principais temas do encontro promovido pelo MP

Conhecer de perto a realidade e ouvir as principais demandas dos povos de terreiros foi o principal objetivo do Ministério Público estadual, que reuniu na tarde de hoje, dia 10, representantes de diversos órgãos públicos e da sociedade civil no Terreiro Tumba Junsara, no Engenho Velho de Brotas. O encontro teve como finalidade fortalecer as relações das comunidades religiosas de matrizes africanas com as instituições e atender demandas específicas desse seguimento, a exemplo do combate à intolerância religiosa. A regularização dos imóveis junto aos órgãos municipais, estaduais e da União e os procedimentos para o tombamento e registro dos terreiros, além de esclarecimentos sobre imunidade tributária, foram os temas mais debatidos durante o encontro. “Diante de todos os conflitos que estamos vivenciando em nosso país e com nossos legados, a presença do MP aqui na casa, realizando esse diálogo, vem esclarecer indagações sobre direitos e deveres e atender aos nossos anseios”, declarou Esmeraldo Emetério de Santana Filho, representante do Terreiro Tumba Jussara.
A iniciativa “MP e Terreiros em diálogos construtivos” faz parte de uma das ações do Ministério Público durante o 'Novembro Negro' e surgiu a partir da Promotoria de Combate ao Racismo e Intolerância Religiosa identificar dificuldades enfrentadas pelos povos de terreiros em acessar determinados serviços nos órgãos públicos. “A ideia é levar o MP para mais perto dos terreiros e das comunidades, a fim de debatermos diretamente as demandas e darmos os devidos encaminhamentos”, afirmou a promotora de Justiça Lívia Vaz, coordenadora do Grupo de Atuação Especial de Proteção dos Direitos Humanos e Combate à Discriminação (GEDHDIS).
A diferença entre registro, que preserva a manifestação cultural e religiosa, e o tombamento, que regulariza o imóvel, foi um dos principais pontos de discussão. “Hoje tratamos dos instrumentos de proteção e salvaguarda dos terreiros, já que grande parte desses imóveis em Salvador não têm escritura pública, por ser de famílias muito antigas e tradicionais, que já professavam religiões afrobrasileiras. Por isso, é preciso o envolvimento de diversos órgãos públicos para que a situação seja regularizada”. Esclarecimentos sobre legislações do Município, Estado e União também foram pautados. A promotora de Justiça Márcia Teixeira, coordenadora do Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos (CAODH), destaca que "a partir desse projeto pretendemos disponibilizar a metodologia aplicada aos colegas que atuem em municípios que tenham espaços de religiões de matrizes africanas por compreender a importância histórica e cultural dessas comunidades.O MP tem um convênio com a Sepromi e vamos disponibilizar incialmente aos promotores de Justiça que estejam atuando no Baixo Sul e no Recôncavo, onde o mapeamento desses espaços já foi realizado".O próximo encontro está previsto para o dia 24 de novembro, no Terreiro Hunkpame Savalu Vodun Zô Kwé, no Curuzu, e abordará também o enfrentamento aos crimes de ódio e a necessidade de cumprir o Estatuto da Igualdade Racial e de Combate à Intolerância Religiosa.
A ação envolve o Núcleo de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural (Nudephac) do MP; Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan); Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac); Ministério Público Federal; Defensoria Pública; Secretaria de Segurança Pública (SSP); Comissão de Combate à Intolerância Religiosa da OAB; Fundação Gregório de Matos; Secretaria de Cultura da Bahia; Secretaria de Manutenção da Cidade (Seman); Superintendência de Conservação e Obras Públicas do Salvador (Sucop); Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi); Secretaria Municipal da Reparação; Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), entre outros.
Campanha contra o racismo
Como uma das atividades realizadas durante o ‘Novembro Negro’, o Ministério Público também lançará a campanha de combate ao racismo. Com o mote "Todos contra o Racismo", a campanha será lançada no próximo dia 17 e traz ativistas do movimento negro e personalidades artísticas destacando suas atitudes no enfrentamento a este tipo de prática. O objetivo é alertar a população sobre a importância de unir forças para combater o racismo, além de convocar os expectadores para contarem de que forma cada um combate o preconceito. Entre os protagonistas da campanha estão Tia Má, Vovô do Ilê, Major Denice, Jorge Washington, Neuza Alves, Sellena Ramos, Victor Marques, João Hugo, Zelinda Barros e Trícia Calmon. Quem sofrer ou tiver conhecimento sobre crimes de intolerância religiosa , racismo ou qualquer outro tipo de discriminação pode procurar o GEDHDIS, localizado na Rua Arquimedes Gonçalves, nº 142, Jardim Baiano, Nazaré, Salvador-Bahia. No interior do estado, o contato deve ser feito com a Promotoria de Justiça da sua cidade.
Cecom/MP - Telefones: (71) 3103-0446 / 0449 / 0448 / 0499 / 6502

6 de novembro de 2017

Vulnerabilidades e Resistências na Integralidade do Cuidado: pluralidades multicêntricas de ações, pensamentos e a (re)forma do conhecimento

Mas uma publicação que o Psicólogo Samuel Da Luz Barros, de nossa família, participou juntamente com a UFBA e coletivos juvenis.

Baixe o arquivo AQUI

Sumário

Introdução
ROSENI PINHEIRO, FELIPE DUTRA ASENSI, TATIANA ENGEL GERHARDT

Reflections on Ethics and the dynamics of personal identity
AGNES HELLER

Cuidando experiencias, autonomías y agencias: herramientas teóricas y prácticas en torno a las incubadoras de integralidad
PABLO FRANCISCO DI LEO

O ensaio como (re)forma: manifesto anti-paperialista
ANDRÉ LUIS DE OLIVEIRA MENDONÇA

A saúde é diferente”: experiências inovadoras das instituições jurídicas na efetivação do direito à saúde
FELIPE DUTRA ASENSI, ROSENI PINHEIRO

Políticas públicas e atenção às mulheres em situação de violência: contribuições acerca da integralidade em saúde
ANA FLÁVIA PIRES LUCAS D’OLIVEIRA, LILIA BLIMA SCHRAIBER

Redes de Políticas Públicas e os desafios para a Integralidade do Cuidado à Mulher: lugar de mulher é onde ela quiser
ANA HECKERT

A mulher na luta pelo direito de ser na atenção ao parto
DÁRIO FREDERICO PASCHE, ESTHER VILELA, ISABELA GARCIA DOS SANTOS

Pruebas, soportes y luchas por el reconocimiento: experiencias migratorias de jóvenes mujeres en barrios populares
PABLO FRANCISCO DI LEO, SILVIA ALEJANDRA TAPIA

Ativismo e itinerários na luta pelo direito ao cuidado integral em saúde em duas experiências de cronicidade: doença falciforme e leucemia mieloide crônica
CLARICE DOS SANTOS MOTA, LENY ALVES BOMFIM TRAD, YEIMI ALEXANDRA ALZATE LÓPEZ, ALTAIR DOS SANTOS LIRA

As movimentações de pessoas com deficiência em conferências de saúde: entre invisibilidades e desafios para o direito à comunicação e informação
MARINA MARIA

Participação da sociedade civil e o engajamento público na agenda nacional de prioridades em pesquisa: o cotidiano do CNS com foco na hanseníase
MARCELO LUCIANO VIEIRA, ROSENI PINHEIRO

Proteção social e racismo institucional: desafios no caminho da juventude negra em três capitais brasileiras
LENY ALVES BOMFIM TRAD, DIANA ANUNCIAÇÃO SANTOS, CAMILA DOS SANTOS SOUZA ANDRADE, ELIENE DOS SANTOS DE JESUS, JOÃO MIGUEL DIÓGENES DE ARAÚJO LIMA, SAMUEL DA LUZ BARROS

Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional: um desafio para o Sistema Único de Saúde brasileiro
MARDEN MARQUES SOARES FILHO, MARA FREGAPANI BARRETO

Instituições de ensino de saúde e desafios da integralidade do cuidado à mulher em situações de vulnerabilidade social: feminino, saúde e política
MARIA ELIZABETH BARROS DE BARROS, MARIA CAROLINA DE ANDRADE FREITAS

Formação e Cuidado em Saúde: produção de transversalidades
FABIO HEBERT DA SILVA, GUSTAVO NUNES DE OLIVEIRA

Cenários diversificados de aprendizagem na formação em Saúde Coletiva: reflexões a partir dos saberes e práticas da Integralidade
CÉSAR AUGUSTO PARO, ROSENI PINHEIRO

O pensar e o agir na formação em saúde: reflexões interdisciplinares sobre as contribuições de Paulo Freire e Hannah Arendt
CÉSAR AUGUSTO PARO, KARINA MORAES BERMUZES, NEIRES ALVES FREITAS, VINÍCIUS AZEVEDO MACHADO, ROSENI PINHEIRO

Cenários de aprendizagem, estratégias e motivações para formação dos profissionais de saúde
GILSON SAIPPA OLIVEIRA, LILIAN KOIFMAN, VIVIAN DE CARVALHO REIS NEVES

Vulnerabilidades e agir comunitário em três territórios: periferia urbana, o semiárido, aldeias indígenas
LENY ALVES BONFIM TRAD, JANAÍNA BRAGA DE PAIVA, MARIE AGNES ALIAGA, LÉO PEDRANA, ANA CLARA REBOUÇAS CARVALHO

Saúde mental e cidadania na vida cotidiana: fortalecendo o protagonismo do movimento social na luta pela reforma psiquiátrica no Acre
RODRIGO SILVEIRA, JULIANA LOFEGO, ÉRICA FABÍOLA SILVA, EMELYM DANIELA S.TONELLY, VALÉRIA MATOS, DOMISY VIEIRA ANUTE, EUFRASIA CADORIN

Os autores desta coletânea