23 de julho de 2018

Tumba Junsara visita o Ilê Ya Oman

Belo texto de Tata Nlundyandeembo André Luzolo (Tanuri Junsara) sobre a visita do Tumba Junsara ao Ilê Ya Oman, em Santo Amaro e a entrega do nosso primeiro certificado de Ndanji!
*cadastrem-se também! 
Estar no Recôncavo baiano para qualquer adepto do candomblé é por demais emocionante e significativo. Toda a simbologia e historicidade que essa região representa, faz-nos sempre reviver dentro de nossa cadeia ancestral, toda a vibração e força que nossos antepassados ali plantaram durante a formação do que hoje entendemos sobre a nossa religião.
O Terreiro Tumba Junsara, nascido em Acupe, distrito de Santo Amaro, onde a cultura indígena e principalmente a negra pulsa nas peles, língua e tradições daquele povo, que testemunhou - ouso dizer a mais de 100 anos - o nascimento da pedra fundadora da família Junsara, vem nos último anos clamando pelo país o seu sobrenome, num chamado aos seus descendentes. Essa gloriosa família, espalhadas em centenas por todo território brasileiro, salvaguardada nas tradições e doutrinas apontadas pelos fundadores Tata dya Nkisi Kambambi e Tata dya Nkisi Nlundiamungoongo, no último dia 21 de Julho, entregou as lideranças do Terreiro Ilê ya Oman, sob as bençãos de Leemba (Oxalá), o primeiro certificado que consagrou-o como Ndanji (raiz) com grau de FILHO, descendência direta da casa.
A história dessa egrégia casa, fundada pela filha de santo de Ciriaco (Tata Nlundiamungongo), a senhora Valeriana Lopes Pinto (Mãe Vavá), nos reconta toda essa magnifica teia do único sincretismo que nós negros e negras de candomblé temos orgulho de reverenciar, aquele onde as diversas nações de candomblé comungam de mãos dadas toda a tradição autóctone singularmente reinventada em terras brasileiras, construindo o que somos hoje não só como religião e cultura, mas também enquanto conceito primaz de povo brasileiro.
Ao adentrar aquela casa e sentir toda vivacidade espiritual emanada daquele lugar e deixar o coração fluir na nossa humilde missão de entregar um documento, um papel, tão poucas linhas que reafirmaram o que sentimos ao pisar naquele solo sagrado: somos irmãos, vocês são nossa família e temos a vocês toda a reverência e afeto nos quais, tão íntegro elo, faz-nos trocar a nossa energia espiritual - algo tão delicado e imponente, uns com os outros -.
Naquele barracão entonando com alegria o hino da Casa Tumba Junsara, ouvindo o coro familiarizado em resposta a tão esplendorosa cantiga de louvor a nossa ancestralidade, todos e todas sob a mesma emoção e reconhecimento mútuo, vibramos em alegria, abençoados pelos Bankisi ali presentes, em matéria e energia por aquilo que vimos construindo em direção ao centenário do Terreiro Tumba Junsara: juntar a família para um grande abraço, que carecemos pela distância material, mas que consciente de quem somos e representamos, não nos permitimos enfraquecer tão primitiva aliança, pois não há como um Junsara não reconhecer o outro num abraço, numa benção, numa reza, num fundamento, pois mesmo tão diversos, sincréticos e independentes, temos em nós a sabedoria e força dos nossos ancestrais diretos. Salve o Ilê ya Oman, Ndanji Tumba Junsara!





Dibangulango e lançamento de livro no Terreiro


:: Próximas atividades no Terreiro ::
Na próxima quarta-feira ofereceremos nosso já tradicional Dibangulangu dia Zazi ni Luango, à partir das 17:30
Neste dia teremos a honra de receber as autoras de Calu: Uma Menina Cheia de Histórias - Cássia Valle e Luciana Palmeira para lançamento do livro 
E tem mais: os alunos da ACCS Lugares de Memória do Povo Negro da Bahia estarão presentes também, junto com os professores André Nascimento, Desirée Tozzi e Paulo França.
E na segunda-feira, dia 30, teremos Masangu (pipoca) para Kavungo e Mingau de Zumba. Também às 17:30
Serão todos muito bem-vindos 🍃
#TombaTumba #TerreiroTumbaJunsara




18 de julho de 2018

:: Kizomba Kia Kitembo e Seminário ::

:: Família Tumba Junsara :: Está chegando o dia de nossa grande Kizomba Kia Kitembo! Estão todos convidados para a grande festa e nosso tradicional seminário Tumba Junsara Redescobrindo sua história, este ano com o tema: Mungoongo Junsara: Tumba Junsara e seus Territórios
Este tema nasceu dos trabalhos realizados por ocasião dos tombamentos da luta pelos tombamentos via IPAC e IPHAN, e é reflexo da importância da união do Terreiro com sua Ndanji. Todos vocês filhos, netos, descendentes e amigos tem nos apoiado muito nesse percurso, e consideramos fundamental que nos juntemos na véspera da Kizomba para pensarmos juntos nossos caminhos, com o apoio ainda das comunidades acadêmicas, religiosas e do entorno do Terreiro!
Tomba Tumba!



14 de julho de 2018

Campanha TOMBA TUMBA

Dando continuidade a nossa luta pelo tombamento do Terreiro Tumba Junsara, agora na esfera federal (IPHAN), a Mam'etu Mesoeji pede apoio de toda a família Junsara e amigos do Terreiro! Mande suas fotos do Terreiro ou de pessoas que construíram a história da casa, e mande seu vídeo de apoio ao tombamento para o email tumbajunssara@gmail.com



27 de junho de 2018

Dibangulango de junho

:: Seguimos com nossas atividades de junho ::
Como já é tradicional, homenagearemos Zazi e Luango na última quarta-feira do mês. Hoje, 27/06, no Terreiro Tumba Junsara
Estão todos convidados! 



26 de junho de 2018

Parabéns, Nengua Iraildes!

:: E hoje é um dia mais do que especial, é o dia de nossa Nengua Iraildes Cunha!
A ABENTUMBA e o Terreiro Tumba Junsara desejam um feliz aniversário para nossa Mam'etu! Viva! ::🍃